sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Os tipos de deficiência

"Deficiência é o termo usado para definir a ausência ou a disfunção de uma estrutura psíquica, fisiológica ou anatómica. Diz respeito à biologia da pessoa. Este conceito foi definido pela Organização Mundial de Saúde. A expressão pessoa com deficiência pode ser aplicada referindo-se a qualquer pessoa que possua uma deficiência. Contudo, há que se observar que em contextos legais ela é utilizada de uma forma mais restrita e refere-se a pessoas que estão sob o amparo de uma determinada legislação.O termo deficiente para denominar pessoas com deficiência tem sido considerado inadequado, pois o termo leva consigo uma carga negativa depreciativa da pessoa, facto que foi ao longo dos anos se tornando cada vez mais rejeitado pelos especialistas da área e em especial pelos próprios portadores. Actualmente a palavra é considerada como inapropriada, e que promove o preconceito em detrimento do respeito ao valor integral da pessoa."
Deficiências fisicas:
-Deficiência auditiva:
Graus de perda auditiva
Perda Auditiva Leve:
A incapacidade de ouvir sons abaixo de 30 decibéis. Discursos podem ser de difícil audição especialmente se estiverem presentes ruídos de fundo.
Perda Auditiva Moderada:
A incapacidade de ouvir sons abaixo de cerca de 50 decibéis. Aparelho ou prótese auditiva pode ser necessária.
Perda Auditiva Severa:
A incapacidade de ouvir sons abaixo de cerca de 80 decibéis. Próteses auditivas são úteis em alguns casos, mas são insuficientes em outros. Alguns indivíduos com perda auditiva severa se comunicam principalmente através de linguagem gestual, outros contam com uso das técnicas de leitura labial.
Perda Auditiva Profunda:
A ausência da capacidade de ouvir, ou a incapacidade de ouvir sons abaixo de cerca de 95 decibéis. Tal como aqueles com perda auditiva severa, alguns indivíduos com perda auditiva profunda se comunicam principalmente através de linguagem gestual, outros com uso das técnicas de leitura labial.

Classificações da perda de audição:
Surdez por perda Condutiva é o resultado de dano ou bloqueio das partes móveis do ouvido. Os ossos saudáveis de uma orelha interna, os ossículos: martelo, bigorna e estribo vibrão em resposta a sons. Certas doenças ou lesões podem levar à incapacidade destes ossos vibrarem adequadamente, impedindo a detecção das informações sonoras.
Surdez do nervo (Surdez Da Cóclea ou do Nervo Auditivo ) ocorre quando o nervo auditivo está danificado, impedindo assim a obtenção de informações auditivas para o cérebro. Os ossos do ouvido interno podem vibrar corretamente, mas os nervos são incapazes de transmitir essa informação adequada mente para o cérebro.
Som alto - perda auditiva é como o próprio nome indica, a perda da capacidade de ouvir tons altos. Uma das mais importantes conseqüências sociais é que vozes femininas são mais difíceis de compreender.
Som baixo - perda auditiva é a incapacidade de ouvir tons baixos. Vozes masculinas são difíceis de ouvir e entender.
Causas da perda da Audição:
A maior parte surdez ocorre nos primeiros anos de vida, a maioria das vezes é genético ou com causas perinatais. A surdez também pode ocorrer como resultado de infecções do ouvido médio (otite média), que são mais comuns em crianças. Também é possível adquirir surdez com o decorrer da vida, por doenças ou lesões traumáticas. Como adicional a perda auditiva é parte comum do processo de envelhecimento, especialmente em homens.

-Deficiência motora:


Amputação : remoção de uma extremidade do corpo através de cirurgia ou acidente.
Doenças congénitas e condições :
Paralisia cerebral: lesão no cérebro resultando na diminuição do controlo muscular, geralmente ocorre durante o desenvolvimento fetal, mas também pode ocorrer durante a gravidez ou após o nascimento.


Distrofia muscular: doença genética em que os genes das proteínas musculares estão danificados. A Distrofia muscular pode afectar pessoas em qualquer idade, mas é mais comum em crianças.
Esclerose múltipla: Em indivíduos com esclerose múltipla, a mielina (uma camada de tecido que rodeia fibras nervosas) corrói, tornando as fibras nervosas incapazes de enviar sinais a partir do sistema nervoso central para os músculos do corpo.
Espinha bífida : condição congénita em que a espinha não conseguir fechar adequadamente durante o primeiro mês de gravidez. Isso faz com que a membrana ao redor da coluna vertebral saia por trás, resultando na formação de saco nas costas do indivíduo.
Esclerose amiotrófica lateral (Doença de Lou Gehrig's): doença degenerativa que impede os neurónios de enviar impulsos para os músculos. Os músculos enfraquecem ao longo do tempo, e podem, eventualmente, afectar a condição dos músculos necessários para a respiração, resultando em morte.
Artrite: inflamação das articulações, em sentido amplo: é conjunto de sintomas e sinais resultantes de lesões articulares produzidas por diversos motivos e causas, ocorre mais frequentemente em pessoas idosas, mas pode ocorrer também em pessoas mais jovens.

Doença de Parkinson: desordem do sistema nervoso central, que provoca tremores incontroláveis e/ou rigidez nos músculos.
Tremor essencial: desordem nervosa que pode resultar em incontroláveis tremores. Tremor essencial afecta mais frequentemente a parte superior do corpo, tais como as mãos, braços, cabeça e laringe .
Tecnologias de assistência :
· Bastão de boca : Alguém que não possa usar as mãos poderá utilizar um “bastão na boca” para escrever.

Varinhas de cabeça : Usada deslocando a cabeça para fazer a varinha escrever caracteres, navegar na web através de documentos e etc.

· Interruptor de acesso único: usado por pessoas que têm mobilidade muito limitada mas são capazes de utilizar este tipo de dispositivo. Se uma pessoa pode mover apenas a cabeça, por exemplo, uma opção poderia ser colocar ao lado da cabeça, o que permitiria a pessoa utilizar o computador clicando nele com o movimento da cabeça.

Cadeira de Rodas : cadeira montada sobre rodas que é utilizada por indivíduos com dificuldade de locomoção, podendo ser movida manual ou electronicamente pelo ocupante ou empurrada por alguém.

-Deficiência visual:

Visão:

A visão é um dos sentidos que nos ajuda a compreender o mundo à nossa volta, ao mesmo tempo que nos dá significado para os objectos, conceitos e ideias.A comunicação por meio de imagens e elementos visuais relacionados é denominada "comunicação visual". Os humanos empregam-na desde o amanhecer dos tempos. Na realidade, ela é predadora de todas as linguagens escritas.

Deficiência Visual

É a perda ou redução da capacidade visual em ambos os olhos, com carácter definitivo, não sendo susceptível de ser melhorada ou corrigida com o uso de lentes e/ou tratamento clínico ou cirúrgico.De entre os deficientes visuais, podemos ainda distinguir os portadores de cegueira e os de visão subnormal.

Causas da Deficiência Visual:

Congénitas: amaurose congénita de Leber, malformações oculares, glaucoma congénito, catarata congénita.

Adquiridas: traumas oculares, catarata, degeneração senil de mácula, glaucoma, alterações relacionadas à hipertensão arterial ou diabetes.

Como identificar?

• Desvio de um dos olhos;

• Não seguimento visual de objectos;

• Não reconhecimento visual de pessoas ou objectos;

• Baixo aproveitamento escolar;

• Atraso de desenvolvimento;

Sinais de alerta

• Olhos vermelhos, inflamados ou lacrimejantes;

• Pálpebras inchadas ou com pus nas pestanas;

• Esfregar os olhos com frequência;

• Fechar ou tapar um dos olhos, sacode a cabeça ou estende-a para a frente;

• Segura os objectos muito perto dos olhos;

• Inclina a cabeça para a frente ou para trás, pisca ou semicerra os olhos para ver os objectos que estão longe ou perto;

• Quando deixa cair objectos pequenos, precisa de tactear para os encontrar;

• Cansa-se facilmente ou distrai-se ao aplicar a vista muito tempo.

Deficiência mental:


É um conjunto de problemas que ocorrem no cérebro humano que leva os seus portadores a um baixo rendimento cognitivo não afectando outras regiões ou funções cerebrais. A sua principal característica é a redução da capacidade intelectual (Q.I.), que se encontram abaixo do normal para a sua idade.
Os portadores destas deficiências apresentam, normalmente, dificuldade ou um claro atraso no seu desenvolvimento neuropsicomotor, na aquisição da fala e outras habilidades.
Os casos mais conhecidos de deficiência mental são os de síndrome de Down e a paralisia cerebral, que são alterações na estrutura cerebral, provocada por factores genéticos, na vida intra-uterina ao nascimento ou na vida pós – natal.


Um comentário:

Paula Tainá disse...

Porque você não muda esse fundo do blog? É meio difícil ler os post com esse fundo roxo, e por favor faça um bom uso do corretor ortográfico do Blogger. É de GRAÇA!